Uma perspectiva crítica sobre a representação da mulher contemporânea em Women’s Health Brasil: “Você. Só que melhor”?!

Woman's Health

Woman's Health

Neste artigo investigo qual representação de corporeidade feminina está reproduzida pelo discurso da revista Women’s Health Brasil (WHB). A orientação teórica toma por base os pressupostos da Análise Crítica do Discurso. Adoto como ferramentais metodológicos a concepção tridimensional do discurso, de Fairclough (2001) e o modelo de representação dos atores sociais de Theo van Leeuwen (1997). A partir desse ferramental desenvolvo a análise de quatro edições (Abril, Maio, Junho e Julho de 2009) da seção “Carta da Editora”. O estudo permitiu reconhecer que Women’s Health Brasil reitera o padrão hegemônico contemporâneo de corporeidade feminina, magro e malhado, porém agregando a essa representação a necessidade de um corpo potencializado, que seja útil, produtivo e, portanto, melhor, sob a face de um corpo saudável.

Uma perspectiva crítica sobre a representação da mulher contemporânea em Women’s Health Brasil: “Você. Só que melhor”?!